domingo, março 11, 2007

A Advocacia e a Informática

ERPs jurídicos

Mercado jurídico valoriza advogados que dominam informática

Profissionais que conhecem ERPs jurídicos e programas de gerenciamento de Documentos ganham pontos na disputa por uma vaga. Adaptam-se 40% mais rápido às novas tarefas.
Conhecer programas específicos da área jurídica se tornou um diferencial na disputa por uma vaga. Com a crescente informatização dos escritórios, cartórios e tribunais, há uma valorização crescente dos profissionais que conhecem programas específicos, uma vez que a adaptação do novo colaborador, que já traga em seu currículo conhecimentos sobre as ferramentas utilizadas pelo escritório, é em média 40% mais rápida.
Segundo Marcelo de Campos, sócio e gerente de negócios da BCS Informática, especializada em soluções para escritórios de advocacia e departamentos jurídicos, em muitos casos, todo o processo de faturamento, controle financeiro, acompanhamento processual e muitas outras rotinas são inteiramente gerenciadas por ERPs jurídicos, como o Sisjuri – Sistema Jurídico Integrado – que é usado por 50% do mercado de advogados – e programas de gerenciamento eletrônico de documentos, como o GED Worksite, também líder de mercado.
Além disso, os escritórios de advocacia precisam garantir seu lugar num mundo cada vez mais competitivo, brigando, inclusive, para estar na vanguarda do mercado. Neste sentido, passa a fazer diferença contratar um profissional com conhecimentos nos programas de computador nele utilizados, tanto para advogados e estagiários quanto para funcionários administrativos. “Hoje, sem dúvida, além de diferenciais específicos de formação e experiência profissional, conhecer informática jurídica (especialmente os sistemas mais usados) se tornou um critério de desempate na hora da contratação”, explica.
Por outro lado, a tendência é que os escritórios, cada vez mais, automatizem suas rotinas, tanto para agilizar processos internos como para garantir integração com clientes, parceiros, advogados em trânsito, cartórios e tribunais. “É por meio da tecnologia que se garante acesso intuitivo ao conhecimento armazenado e, também, se torna possível gerenciar rotinas jurídicas e administrativas”, finaliza Campos.

0 Comentários:

Postar um comentário

Link para a postagem:

Criar um link

<< Voltar à página principal